Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Espasticidade Sinop, Mato Grosso

"Saiba quais são as causas da espasticidade. Confira também detalhes sobre o tratamento dessa disfunção. ""O que mais incomoda o paciente, além da dor, é a incapacidade de realizar tarefas simples, como se alimentar, caminhar, dormir e cuidar da higiene pessoal. Consulte a lista de especialistas da área, em Sinop.

Heloise Helena de Figueiredo Siqueira
(65) 3025-4954
Benedito Monteiro 145
Varzea Grande, Mato Grosso
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Atila Monteiro Borges
653-0513
Av Av São Sebatião 3300
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Maracal Ind e Com Madeiras Ltda
(66) 515-8494
rdv BR SN
Sinop, Mato Grosso
 
Jony CK Rattmann
(66) 531-4446
av Embaubas, 469
Sinop, Mato Grosso
 
Bruno Régis Prado Silveira
(65) 3626-1600
Rua Adel MaloufNº 119 - 2ª Andarsala 10Recepção 08 Hospital Santa Rosa
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Incomax Ind e Com de Madeiras Xavantes Ltda
(66) 531-3427
rdv BR KM, 837
Sinop, Mato Grosso
 
E Destefani
(66) 531-6069
av Tarumas, 916
Sinop, Mato Grosso
 
Tomazoni Cia Ltda
(66) 531-2287
rdv BR-163, 818000, Km 818
Sinop, Mato Grosso
 
Dados Divulgados por

Espasticidade

Fornecido por: 

Estudo coordenado pela Associação Espanhola de Paralisia Cerebral e apresentado recentemente no congresso da ISMST (International Society of Medical Shockwave Therapy), em Juan Les Pins (França), demonstrou a eficácia do tratamento por ondas de choque em pacientes portadores de espasticidade.



Trata-se de uma desordem motora relacionada ao sistema nervoso central que provoca espasmos incapacitantes. De acordo com o Ministério da Saúde, a hiperatividade muscular que a espasticidade impõe afeta milhões de pessoas no mundo todo e geralmente está relacionada a traumatismos crânio-encefálicos, acidente vascular cerebral (AVC), paralisia cerebral e doenças degenerativas da medula, entre outros. Quando não tratada, a disfunção causa contraturas, rigidez, luxações, e até deformidades. Mas, o que mais incomoda o paciente – além da dor – é a incapacidade de realizar tarefas simples, como se alimentar, caminhar, dormir e cuidar da higiene pessoal.

Apesar de não haver cura definitiva da lesão, o objetivo dos tratamentos que vêm sendo apresentados é diminuir a incapacidade do doente, inserindo-o num programa de reabilitação. Depois de alguns estudos que avaliaram a eficiência do uso da toxina botulínica (Botox), a novidade agora é o tratamento por ondas de choque. Segundo os cientistas espanhóis, todos os pacientes entre 34 e 48 anos apresentaram redução imediata...


    
Continue sua leitura em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb