Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Curso de aviação Macapá, Amapá

Encontre os cursos de aviação de Macapá. Conheça as empresas especializadas desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Mozacon Ltda
(96) 222-7737
r Candido Mendes, 1039, Central
Macapá, Amapá
 
Ivan Benjo Furtado
(96) 241-3989
can Pedrinhas, 473, Jardim Equatorial
Macapá, Amapá
 
VARIG Viação Aérea Riograndense
(96) 223-2335
r Hildemar Maia, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
Taxi Aéreo Marco Zero Ltda
(96) 222-1482
r Hildemar Maia, 577, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
Penta Taxi Aéreo
(96) 223-5226
av Mendonça Junior, 13, cd, Central
Macapá, Amapá
 
VARIG Cargas
(96) 223-1767
tv Raimundo Alvares da Costa, 1368, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
Marco Zero Turismo
(96) 223-1922
tv São José, 2048, sl 6, Laguinho
Macapá, Amapá
 
VARIG Reservas
(96) 222-7721
r Candido Mendes, 1039, Central
Macapá, Amapá
 
VASP Viação Aérea Paulo SA
(96) 222-3163
r Hildemar Maia, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
VASP Viação Aérea Paulo SA
(96) 222-5177
av Padre Julio Maria Lombard, 115, Central
Macapá, Amapá
 

Curso de aviação

Fornecido por: 

Mestre em recontar a história do Brasil, Marcio Souza cria em O BRASILEIRO VOADOR um divertido álbum de recortes que une os momentos marcantes na vida Alberto Santos-Dumont aos principais acontecimentos da época em que viveu o pai da aviação.

Sem pretensões de criar uma biografia oficial, mas sempre respeitando os fatos históricos, Márcio Souza dá asas a imaginação e apresenta a vida de Santos-Dumont com um senso de humor elegante e inteligente. "Este livro nasceu como argumento para um filme. Nunca pretendeu ser a biografia definitiva, oficial e inconteste de Santos Dumont" conta.

Em 1893, o mineiro Alberto Santos Dumont chega a Paris. De francês, tem apenas um sobrenome e alguns parentes. Leitor voraz de Julio Verne na infância, ele renúncia a uma vida confortável como herdeiro de uma fazenda de café em Ribeirão Preto, para conquistar, na Europa, o ar.

Financia seu primeiro vôo de balão; mais tarde, passa a construir seus próprios dirigíveis. A bordo do N° 6, contorna a Torre Eiffel, num episódio que assombra Paris, rendendo-lhe um prêmio de cem mil francos. Seu nome vira manchete de jornais e seu hangar torna-se tão concorrido quanto os ateliês de pintores da época.

Ao contrário dos irmãos Wright, que realizavam voos isolados, Santos Dumont fazia aparições públicas, atraindo as multidões. Em 1906, o lacônico inventor alça o vôo mais alto de sua carrei...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb