Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Curso de aviação Abaetetuba, Pará

Encontre os cursos de aviação de Abaetetuba. Conheça as empresas especializadas desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

CBM Taxi Aéreo Ltda
(313) 494-6054
r Hangares, 1, Itapoã
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Moto Taxi Pontual
(64) 453-8997
r E, 30, lt 1
Caldas Novas, Goiás
 
Vaspex
(47) 371-0810
r Expedicionario Cabo Harry Hadlich, 120, Centro
Jaraguá do Sul, Santa Catarina
 
Ceesa Taxi Aéreo Ltda
(313) 443-5522
pc Bagatelle, Pampulha
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Ariba Aero Taxi Ltda
(313) 491-1882
r Líder, 84, Pampulha
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Aristides Melo
(69) 321-2641
r 6, 4946
Vilhena, Rondônia
 
Wazppi Transfer Transorte Ltda
(51) 589-5265
av João Correa, 1003, lj 4, Centro
São Leopoldo, Rio Grande do Sul
 
VARIG SA Viação Aérea Riograndense
(97) 743-2466
656, Tefé
Tefe, Amazonas
 
Antonia M Nuvens
(62) 751-1348
av Tocantins, 160, Uruaçu
Uruacu, Goiás
 
ETA Emp Taxi Aéreo Ltda
(343) 314-7433
av Nene Sabino, 169, Santa Marta
Uberaba, Minas Gerais
 

Curso de aviação

Fornecido por: 

Mestre em recontar a história do Brasil, Marcio Souza cria em O BRASILEIRO VOADOR um divertido álbum de recortes que une os momentos marcantes na vida Alberto Santos-Dumont aos principais acontecimentos da época em que viveu o pai da aviação.

Sem pretensões de criar uma biografia oficial, mas sempre respeitando os fatos históricos, Márcio Souza dá asas a imaginação e apresenta a vida de Santos-Dumont com um senso de humor elegante e inteligente. "Este livro nasceu como argumento para um filme. Nunca pretendeu ser a biografia definitiva, oficial e inconteste de Santos Dumont" conta.

Em 1893, o mineiro Alberto Santos Dumont chega a Paris. De francês, tem apenas um sobrenome e alguns parentes. Leitor voraz de Julio Verne na infância, ele renúncia a uma vida confortável como herdeiro de uma fazenda de café em Ribeirão Preto, para conquistar, na Europa, o ar.

Financia seu primeiro vôo de balão; mais tarde, passa a construir seus próprios dirigíveis. A bordo do N° 6, contorna a Torre Eiffel, num episódio que assombra Paris, rendendo-lhe um prêmio de cem mil francos. Seu nome vira manchete de jornais e seu hangar torna-se tão concorrido quanto os ateliês de pintores da época.

Ao contrário dos irmãos Wright, que realizavam voos isolados, Santos Dumont fazia aparições públicas, atraindo as multidões. Em 1906, o lacônico inventor alça o vôo mais alto de sua carrei...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb