Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica de terapia familiar Rio Branco, Acre

Encontre as clínicas de terapia familiar de Rio Branco. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Débora Cristina dos Santos
(68) 3226-1347
r Rio de Janeiro 1124, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Carolina Sátiro Macêdo
(68) 9207-0018
r Copacabana, 148 s 203 Cj Village, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Débora Cristina dos Santos
(68) 3226-1347
r Rio de Janeiro 1124, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
DR Deusmar Singui Fl
(68) 224-5644
av Brasil, 303, sl 207 an 2, Base
Rio Branco, Acre
 
Gisela da Costa Mascarenhas
(68) 224-9389
r Grêmio Atlético Sampaio, 67, José Augusto
Rio Branco, Acre
 
Fabiana Pescador
(68) 3223-7915
av Brasil 303 - 7 s 702, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Fabiana Pescador
(68) 3223-7915
av Brasil 303 - 7 s 702, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Carolina Sátiro Macêdo
(68) 9207-0018
r Copacabana, 148 s 203 Cj Village, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
DR Savio Costa Psiquiatra
(68) 223-7207
r Guiomard Santos, 310, Bosque
Rio Branco, Acre
 
Clinorl Clínica de Otorrinolaringologia
(68) 224-0828
av Getulio Vargas, 1729, Centro
Rio Branco, Acre
 
Dados Divulgados por

Clínica de terapia familiar

Fornecido por: 

Muito se fala da maternidade e da relação entre a mãe e o filho, mas aproveitando o dia dos pais, é válido lembrar que o pai também precisa ter vínculo com o filho, e para isso é preciso criar espaço para essa relação, a relação entre pais e filhos.

Normalmente, os filhos ficam mais próximos da mãe, mas isso acontece porque o pai, na maior parte das vezes, está ausente, trabalhando o dia inteiro fora e só voltando para casa tarde da noite. Nesse esquema, o homem acaba deixando para a mulher todas as situações que lhe proporcionariam contato mais direto com os filhos.

Essa situação é a mais comum. Apesar de algumas mudanças na estrutura familiar - como mulheres trabalhando fora o dia inteiro e maior participação dos parceiros dentro de casa -, ainda existe um distanciamento de muitos pais na criação dos filhos. Claro que há diferenças enormes entre as pessoas, mas esse costuma ser o padrão.

Uma dica é aproveitar a ausência da mãe que precisa ficar fora o dia inteiro e ficar mais perto dos filhos. "Se a mãe trabalha, abre-se uma brecha para que o pai possa assumir papéis antes destinados apenas às mães. Esse é um caminho que já vem sendo trilhado por muitos deles, dedicando tempo e energia, espontaneamente, ao cuidado de seus filhos", explica o pediatra Moisés Chencinski, autor do livro Gerar e nascer é um canto de amor e aconchego.

A "dificuldade" em ser pai tem forte influência cultural. "O homem, em geral, não foi educado para ser pai. Falta um empurrãozinho, uma permissão, um estímulo, sem cobrança, uma educação específica, uma ajuda especial que traga à tona o sentimento que esse homem, que esse pai, com certeza, tem", garante o pediatra.

Filhos precisam de compreensão, carinho e respeito para que possam desenvolver todo o seu potencial afetivo e intelectual. Seja numa família tradicional, com pai e mãe casados, ou em casos de pais separados. "Se o casal é acolhedor, compreensivo, confiante e tem respeito um com o outro e os dois com seus filhos, tudo é possível. Mesmo que eles estejam separados. Cooperação e não competição", lembra o especialista.

Vale lembrar que quem se separa é o casal, um cônjuge do outro, e não os pais dos filhos. O casamento dura o tempo que os parceiros desejarem, mas a relação entre pais e filhos é eterna. O vínculo criado na concepção não se desfaz sequer com a morte, mesmo mortos...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb