Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica de Cirurgia Plástica Corumbá, Mato Grosso do Sul

Encontre as clínicas de cirurgia plástica de Corumbá. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Agliberto Marcondes Rezende
Rua Antonio Maria Coelho 3861
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Paulo Roberto S Pagliarelli
(67) 3341-9252
Joaquim Henrique 52
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Luiz Satochi Fukagawa
(67) 3521-8131
Av Doutor Eloy Chaves 340
Tres Lagoas, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Alcides Martins Arruda
(67) 3321-5962
r Euclides da Cunha, 488 Vila Ises
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Agliberto M.rezende, Dr Cirurgia Plástica
(67) 3326-4156
r Antônio Maria Coelho, 3861 Jardim Noroeste
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Alcides Martins Arruda
(67) 3383-2023
Rua Euclides da Cunha 488
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Kleder Gomes de Almeida
(67) 3326-9151
Mar das Caraibas 51
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Marcelorosseto, Dr.
(67) 3324-1202
r Abrão Júliorahe, 1289 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Clínica de Cirurgia Plástica Giovanni Pires Viana
(67) 3351-5328
r Espírito Santo, 1723 Vila Gomes
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Inter Clínica Inter Plástica
(67) 3382-0542
r 25 de Dezembro, 528 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Cirurgia Plástica

Fornecido por: 

Bolsas de gordura, pálpebras caídas, borda palpebral virada para dentro... É possível se livrar de todos estes incômodos estéticos.

Ninguém duvida que os olhos sejam o espelho da alma e que eles ajudam a conferir mais beleza e harmonia à face. No entanto, com o passar o tempo, ou mesmo em decorrência de algum acidente ou trauma, alguns problemas podem roubar seu aspecto de vitalidade. Segundo o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, para fazer a correção estética na região dos olhos, além da blefaroplastia, existem também as cirurgias denominadas periorbitárias. Elas tratam determinadas patologias ou traumatismos em homens e mulheres de qualquer idade e revitalizam a região dos olhos, explica.

Homens e mulheres têm procurado cada vez mais a blefaroplastia, cirurgia que corrige os excessos de pele da pálpebra superior e da pálpebra inferior, retirando também as bolsas de gordura, que podem aparecer precocemente, por pré-disposição genética ou pelo passar dos anos, com a perda natural de elasticidade da pele. O maior objetivo da blefaroplastia é eliminar o excesso de pele e gordura ao redor dos olhos, fruto, em alguns casos, de doenças oculares. 

O excesso de gordura nos olhos já pode começar a aparecer a partir dos 30 anos. O grau de intensidade do excesso de gordura ou de pele vai depender, sobretudo, da qualidade do tecido de cada pessoa e de fatores genéticos e características familiares. 

A blefaroplastia, segundo Penteado, é uma cirurgia simples, mas delicada. Dura, em média, 90 minutos. Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local. Raramente é feita sob anestesia geral. Para realizá-la adequadamente, o cirurgião mede a quantidade de pele ou gordura a ser retirada e depois realiza a incisão. Deve-se tomar muito cuidado, pois a retirada excessiva de pele ou gordura pode dar um aspecto sem mobilidade ao olho, transformando o olhar do paciente e prejudicando a ação de piscar, gerando o ressecamento ocular, alerta o médico. 

O resultado pleno da cirurgia é obtido entre três e seis meses após a cirurgia, quando há a acomodação dos tecidos e a cicatrização completa. A exposição solar poderá ser liberada após um ou dois meses, observando alguns cuidados, como o uso de óculos escuros e de protetores solares, afirma Ruben Penteado.

Quando a pálpebra superior se encontra caída, encobrindo o olho mais do que seria o normal, o desconforto estético é evidente. Dentre as causas mais freqüentes para o aparecimento da ptose palpebral, destacam-se as de origem congênita, a ocorrência de doenças como, por exemplo, um AVC ou uma miastenia grave e traumatismos diversos, diz o cirurgião plástico.

Pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade podem apresentar o problema - existem graus severos de ptose e outr...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb