Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica de Cirurgia Plástica Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Encontre as clínicas de cirurgia plástica de Campo Grande. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Alcides Martins Arruda
(67) 3383-2023
Rua Euclides da Cunha 488
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Agliberto Marcondes Rezende
Rua Antonio Maria Coelho 3861
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Marcelorosseto, Dr.
(67) 3324-1202
r Abrão Júliorahe, 1289 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Clínica de Cirurgia Plástica Sãorafael
(67) 3341-9777
r dos Vendas, 599 Jardim Bela Vista
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Clínica João Ilgenfritz
(67) 3321-5040
r José Antônio Pereira, 618 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Kleder Gomes de Almeida
(67) 3326-9151
Mar das Caraibas 51
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Paulo Roberto S Pagliarelli
(67) 3341-9252
Joaquim Henrique 52
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Inter Clínica Inter Plástica
(67) 3382-0542
r 25 de Dezembro, 528 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Clínica João Ilgenfritz
(67) 3321-5040
r José Antônio Pereira, 618 Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Plastica's Day Clinic S/S
(67) 3326-8799
r Mar Caraíbas, 51 Chácara Cachoeira
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Cirurgia Plástica

Fornecido por: 

Bolsas de gordura, pálpebras caídas, borda palpebral virada para dentro... É possível se livrar de todos estes incômodos estéticos.

Ninguém duvida que os olhos sejam o espelho da alma e que eles ajudam a conferir mais beleza e harmonia à face. No entanto, com o passar o tempo, ou mesmo em decorrência de algum acidente ou trauma, alguns problemas podem roubar seu aspecto de vitalidade. Segundo o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, para fazer a correção estética na região dos olhos, além da blefaroplastia, existem também as cirurgias denominadas periorbitárias. Elas tratam determinadas patologias ou traumatismos em homens e mulheres de qualquer idade e revitalizam a região dos olhos, explica.

Homens e mulheres têm procurado cada vez mais a blefaroplastia, cirurgia que corrige os excessos de pele da pálpebra superior e da pálpebra inferior, retirando também as bolsas de gordura, que podem aparecer precocemente, por pré-disposição genética ou pelo passar dos anos, com a perda natural de elasticidade da pele. O maior objetivo da blefaroplastia é eliminar o excesso de pele e gordura ao redor dos olhos, fruto, em alguns casos, de doenças oculares. 

O excesso de gordura nos olhos já pode começar a aparecer a partir dos 30 anos. O grau de intensidade do excesso de gordura ou de pele vai depender, sobretudo, da qualidade do tecido de cada pessoa e de fatores genéticos e características familiares. 

A blefaroplastia, segundo Penteado, é uma cirurgia simples, mas delicada. Dura, em média, 90 minutos. Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local. Raramente é feita sob anestesia geral. Para realizá-la adequadamente, o cirurgião mede a quantidade de pele ou gordura a ser retirada e depois realiza a incisão. Deve-se tomar muito cuidado, pois a retirada excessiva de pele ou gordura pode dar um aspecto sem mobilidade ao olho, transformando o olhar do paciente e prejudicando a ação de piscar, gerando o ressecamento ocular, alerta o médico. 

O resultado pleno da cirurgia é obtido entre três e seis meses após a cirurgia, quando há a acomodação dos tecidos e a cicatrização completa. A exposição solar poderá ser liberada após um ou dois meses, observando alguns cuidados, como o uso de óculos escuros e de protetores solares, afirma Ruben Penteado.

Quando a pálpebra superior se encontra caída, encobrindo o olho mais do que seria o normal, o desconforto estético é evidente. Dentre as causas mais freqüentes para o aparecimento da ptose palpebral, destacam-se as de origem congênita, a ocorrência de doenças como, por exemplo, um AVC ou uma miastenia grave e traumatismos diversos, diz o cirurgião plástico.

Pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade podem apresentar o problema - existem graus severos de ptose e outr...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb