Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica Imunopatológica Marechal Deodoro AL

Esta página disponibiliza matérias interessantes sobre imunopatologia e uma lista de empresas e profissionais liberais na cidade de Marechal Deodoro. Encontre abaixo empresas e profissionais liberais da região de Marechal Deodoro que oferecem diversos produtos e serviços e ainda esclareça suas dúvidas sobre imunopatologia.

Edmilson Vieira Gaia Filho
822-1237
R Hugo Correa Paes 253
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ariosto de Oliveira Macedo
823-2414
R Prof. Jose da S. Camerino 1065 - Hospital Sanatorio
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Carlos Eugenio Rocha
Rua Epaminondas Gracindo 96
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Manuel Pereira Filho
(82) 3326-1512
R Doutor Pedro Monteiro 167
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Maria do Perpetuo Socorro Passos de A. Jorge
(82) 2123-6000
R Dias Cabral 414
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Manuel Pereira Filho
(82) 3326-1512
R Doutor Pedro Monteiro 167
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Maria do Perpetuo Socorro Passos de A. Jorge
(82) 2123-6000
R Dias Cabral 414
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ariosto de Oliveira Macedo
823-2414
R Prof. Jose da S. Camerino 1065 - Hospital Sanatorio
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Carlos Eugenio Rocha
Rua Epaminondas Gracindo 96
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Edmilson Vieira Gaia Filho
822-1237
R Hugo Correa Paes 253
Maceio, Alagoas
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

O inverno aumenta as reações alérgicas

Fornecido por: 

Autoria: Da Redação   
01 de junho de 2011
 
Quando a temperatura baixa e o frio começa a ficar mais intenso, as pessoas começam a sentir a pele áspera e começam a perceber algumas irritações nas vias respiratórias.

Segundo a dermatologista Kátia Lutfi "o inverno e o tempo mais seco diminuem as defesas e secreções das vias aéreas deixando-as mais vulneráveis aos alérgenos, que são todas as substâncias capazes de desencadear uma reação alérgica". O frio e o fenômeno das inversões térmicas dificultam a dispersão de poluentes do ar, o que facilita a inalação de agentes que causam alergias.

Além disso, explica Kátia, "as pessoas tendem a passar mais tempo em locais fechados e com maior aglomeração, o que facilita o contato com os alérgenos". Cerca de 25% da população brasileira sofre de alguma forma de alergia, e as mais comuns são: a asma (bronquite alérgica ou bronquite asmática), a rinite alérgica e as alergias cutâneas.

Quando se conhece o responsável pela alergia como, por exemplo, em uma alergia alimentar, basta evitar o alimento na dieta. Quando o agente está presente no ar como a poeira ou fungos, "podemos tentar reduzir o seu contato através do que chamamos de controle ambiental, que consiste em cuidados diversos para diminuir o contato com os alérgenos no ambiente domiciliar, como por exemplo, ouso de protetores plásticos de colchão e travesseiros, de pano úmido diariamente nos pisos da casa, a troca das cortina...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb