Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica Imunopatológica Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Esta página disponibiliza matérias interessantes sobre imunopatologia e uma lista de empresas e profissionais liberais na cidade de Campo Grande. Encontre abaixo empresas e profissionais liberais da região de Campo Grande que oferecem diversos produtos e serviços e ainda esclareça suas dúvidas sobre imunopatologia.

Roni Marques
3324-0908
Rua Rui Barbosa 4018
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ana Lucia Kiyomi Shimabuko Dobashi
(67) 3384-6194
Av. Mato Grosso 2209
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Roni Marques
3324-0908
Rua Rui Barbosa 4018
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ana Maria Campos Marques
(67) 3324-0908
Rua Rui Barbosa 4018
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Dey L Bueno
(67) 384-6711
av Mato Grosso, 2207, sl 5, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Ana Maria Campos Marques
(67) 3324-0908
Rua Rui Barbosa 4018
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ana Lucia Kiyomi Shimabuko Dobashi
(67) 3384-6194
Av. Mato Grosso 2209
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Douglas Henry Borges
(67) 3521-1919
R Paranaíba 1175
Tres Lagoas, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
José e Simm
(67) 351-6111
r Eduardo Santos Pereira, 1659, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Roni Marques
(67) 324-0908
r Prsa Isabel, 282
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Dados Divulgados por

O inverno aumenta as reações alérgicas

Fornecido por: 

Autoria: Da Redação   
01 de junho de 2011
 
Quando a temperatura baixa e o frio começa a ficar mais intenso, as pessoas começam a sentir a pele áspera e começam a perceber algumas irritações nas vias respiratórias.

Segundo a dermatologista Kátia Lutfi "o inverno e o tempo mais seco diminuem as defesas e secreções das vias aéreas deixando-as mais vulneráveis aos alérgenos, que são todas as substâncias capazes de desencadear uma reação alérgica". O frio e o fenômeno das inversões térmicas dificultam a dispersão de poluentes do ar, o que facilita a inalação de agentes que causam alergias.

Além disso, explica Kátia, "as pessoas tendem a passar mais tempo em locais fechados e com maior aglomeração, o que facilita o contato com os alérgenos". Cerca de 25% da população brasileira sofre de alguma forma de alergia, e as mais comuns são: a asma (bronquite alérgica ou bronquite asmática), a rinite alérgica e as alergias cutâneas.

Quando se conhece o responsável pela alergia como, por exemplo, em uma alergia alimentar, basta evitar o alimento na dieta. Quando o agente está presente no ar como a poeira ou fungos, "podemos tentar reduzir o seu contato através do que chamamos de controle ambiental, que consiste em cuidados diversos para diminuir o contato com os alérgenos no ambiente domiciliar, como por exemplo, ouso de protetores plásticos de colchão e travesseiros, de pano úmido diariamente nos pisos da casa, a troca das cortina...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb