Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Clínica Imunopatológica Ananindeua, Pará

Esta página disponibiliza matérias interessantes sobre imunopatologia e uma lista de empresas e profissionais liberais na cidade de Ananindeua. Encontre abaixo empresas e profissionais liberais da região de Ananindeua que oferecem diversos produtos e serviços e ainda esclareça suas dúvidas sobre imunopatologia.

Antonio Anselmo Bentes de Oliveira
Tv 13 - de Maio 469 S 304
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Benedito Helio da Silva Queiroz
Av Duque de Caxias 762
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Ana Cristina Oliveira Braga
(91) 3222-4108
Av Presidente Vargas 351 - Sala 214
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Luana Paredes Leite de Barros Pereira
(91) 0269-0579
R.dos Pariquis 2999 - . Ed.Village Center_Sl 606/608
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Francisco Cardoso de Oliveira Santos
913-2249
Av Conselheiro Furtado 1284
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Benedito Tacariju R Pauxis
(91) 3217-4000
Av Gentil Bittencourt 2175
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Angelina Serra Freire Lobo
R Ferreira Cantao 454 - S 404
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Sandra Suely dos Santos Praia
913-2360
R Domingos Marreiros 1735
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Cleonardo Augusto da Silva
(91) 3259-5896
Av Governador Magalhaes Barata 695 - Sala 207
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Angelina Serra Freire Lobo
R Ferreira Cantao 454 - S 404
Belem, Pará
Especialidade
Pneumologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

O inverno aumenta as reações alérgicas

Fornecido por: 

Autoria: Da Redação   
01 de junho de 2011
 
Quando a temperatura baixa e o frio começa a ficar mais intenso, as pessoas começam a sentir a pele áspera e começam a perceber algumas irritações nas vias respiratórias.

Segundo a dermatologista Kátia Lutfi "o inverno e o tempo mais seco diminuem as defesas e secreções das vias aéreas deixando-as mais vulneráveis aos alérgenos, que são todas as substâncias capazes de desencadear uma reação alérgica". O frio e o fenômeno das inversões térmicas dificultam a dispersão de poluentes do ar, o que facilita a inalação de agentes que causam alergias.

Além disso, explica Kátia, "as pessoas tendem a passar mais tempo em locais fechados e com maior aglomeração, o que facilita o contato com os alérgenos". Cerca de 25% da população brasileira sofre de alguma forma de alergia, e as mais comuns são: a asma (bronquite alérgica ou bronquite asmática), a rinite alérgica e as alergias cutâneas.

Quando se conhece o responsável pela alergia como, por exemplo, em uma alergia alimentar, basta evitar o alimento na dieta. Quando o agente está presente no ar como a poeira ou fungos, "podemos tentar reduzir o seu contato através do que chamamos de controle ambiental, que consiste em cuidados diversos para diminuir o contato com os alérgenos no ambiente domiciliar, como por exemplo, ouso de protetores plásticos de colchão e travesseiros, de pano úmido diariamente nos pisos da casa, a troca das cortina...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb