Quer ser nosso colaborador? Envie seu texto e fotos para nosso e-mail.

Centro de Ortopedia Coronel Vivida PR

Esta página disponibiliza matérias interessantes sobre ortopedia e uma lista de empresas e profissionais liberais na cidade de Coronel Vivida. Encontre abaixo empresas e profissionais liberais da região de Coronel Vivida que oferecem diversos produtos e serviços e ainda esclareça suas dúvidas sobre ortopedia.

Ednilson Goncalves da Rocha Betiol
(46) 3225-5400
R Iguacu 206
Pato Branco, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Neri Machado Junior
(46) 224-5838
Rua Pedro Ramires de Mello 429
Pato Branco, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Neri Machado Junior
(46) 224-5838
Rua Pedro Ramires de Mello 429
Pato Branco, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Cilson Pinheiro de Moraes
(44) 3224-0232
Av. Cidade de Leiria 529 - Térreo
Maringa, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Paulo Jose de Santana
(43) 3324-0075
Rua Borba Gato 1142
Londrina, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Luis Fernando Kummer
(46) 3224-2712
R Tocantins 2320 - Sala 501/502 5 Andar
Pato Branco, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Olga Mitiko Yoshihara
(46) 3220-2899
Av Brasil 450 - Sl 902 9 Andar Edif Max Saude
Pato Branco, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Gilson Lotario Zahdi
(45) 3025-3456
Rua das Missões 34
Foz Do Iguacu, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Paulo Jose Scherner
(41) 3282-3824
Rua Joao Angelo Corrdeiro 544
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Laudelino Moura Jorge Filho
(42) 3272-2897
Av. Chanc Horacio Laffer 116
Telemaco Borba, Paraná
Especialidade
Ortopedia e Traumatologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Dor do crescimento não deixa seqüelas

Fornecido por: 

Autoria: Da Redação   
12 de maio de 2011
 

Pouco conhecida pela população em geral e polêmica entre os especialistas, a dor do crescimento é real. Pais que tem filhos com o problema sabem disso e, muitas vezes, desconhecem como amenizar o sofrimento das crianças.

O chefe do Centro de Ortopedia da Criança e do Adolescente do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), Pedro Henrique Mendes, diz que as dores aparecem entre os 4 e 10 anos, e apesar de cessarem depois disso, é importante fazer uma avaliação médica para a definição do diagnóstico, descartando outras doenças com sintomas similares às dores do crescimento. A dor aparece geralmente no final da tarde e durante a noite, sem uma causa determinada. Acomete, em geral, os ossos longos das pernas (na tíbia ou no fêmur). Não causa vermelhidão nem marcas físicas. Se, no dia seguinte, a criança for a um pediatra, não haverá vestígio do problema, nem ósseo nem muscular. "Os exames vão servir para identificar se a criança sofre de doenças reumatológicas, hematológicas e até mesmo endocrinológicas, que também podem causar dores nos membros", esclarece.

Muitos especialistas relacionam a dor noturna a uma possível fadiga muscular decorrente de atividades realizadas durante o dia. No entanto, não é motivo para que a garotada fique parada. "Pelo contrário, as crianças devem ser estimuladas a brincar, correr, a praticar esportes, atividades normais da idade, ne...

Clique aqui para ler este artigo em O Debate

Copyright © 2013 Todos os direitos reservados.
UaiWeb